Usuários on line

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

COPA NISSAN 2008 - INTER CAMPEÃO



Colorado é o primeiro clube brasileiro que levanta taça da competição

Leonardo Pereira
RIO DE JANEIRO
Entre em contato

Está certo que a Sul-Americana não tem o mesmo glamour da Libertadores, mas o Internacional provou nesta-quarta, no Beira-Rio, que não faltam mais títulos: 38 gaúchos, três Brasileiros, uma Copa do Brasil, uma Libertadores, um Mundial, uma Recopa, e por fim, uma Sul-Americana. E conforme diz o hino: "Segue tua sendas de vitórias". Depois da vitória sobre o Estudiantes na Argentina por 1 a 0, a festa da metade vermelha de Porto Alegre veio com um empate suado na prorrogação.

Enquanto a Guarda Popular Colorada entoava uma paródia de Creedence Clearwater Revival ( "Vamo Inter, vamos temos que vencer"), dentro de campo, Alex recebia marcação tripla cada vez que tocava na bola. A solução que o Inter encontrou foi colocar D'Alesasandro e Nilmar aberto pelas pontas e tentar lançamentos de longa distância para os dois. O argentino buscou jogo o tempo todo e criou as melhores chances do time do Rio Grande do Sul.

A partida foi truncada, nervosa e repleta de divididas. A perigosa equipe argentina tentava alçar bolas aéreas, mas a defesa do Inter tinha o mesmo comportamento da partida na Argentina, se antecipando bem e evitando matar os torcedores colorados de susto.

Com as duas equipes jogando de forma muito cuidadosa, o empate acabou sendo justo no primeiro tempo, mas Andrezinho teve a faca e o queijo para deixar o Colorado na frente, mas Andujár fez uma defesa de cinema.

Na segunda etapa, o Internacional começou com tudo. Jogando junto com a torcida, os primeiros minutos foram de pressão total. A música da vez foi então uma paródia de "Brasília Amarela", dos Mamonas Assassinas ("Inter, estaremos contigo. Tu és minha paixão. Não importa o que digam Sempre levarei comigo").

O empate parcial era perigoso. Depois de uma bobeira da defesa colorada, o Inter passou um momento delicado. Depois de uma cobrança pela direita, Alayes apareceu sozinho e completou para o gol. O gol deixou o time da casa nervoso e dando espaços para o Estudiantes.

Com Alex sumido, Tite optou por Taison justamente para coloocar fogo no jogo, já que o Inter, passivo demais, andava em campo. Mas nada dava certo. Não havia criação e os gaúchos, cautelosos demasiadamente, quase não chegavam à meta de Andujar. Para piorar, o goleiro reserva Agenor conseguiu ser expulso por reclamação.

Na prorrogação, o Inter tentou reascender a chama. Andújar, o nome do jogo até então, fez outra defesa expetacular em conclusão de Nilmar. O jogo continuava complicado porque o Estudiantes se defendia bem e saiu com muito perigo nos contra-ataques. A pressão continuou na segunda etapa, o momento foi colorado, mas faltou um homem de área para colocar a bola para dentro.

O alívio e a redenção veio aos oito da segunda etapa. Após bate-rebate, o predestinado Nilmar completou de cabeça e garantiu a festa da metade colorada de Porto Alegre.

Decerto que ao lembrar de 2008, o torcedor Colorado terá na memória as defesas de Lauro, a segurança do general Bolivar, a habilidade de Nilmar, a inteligência de D'Alessandro, a pontaria de Alex, a raça do guerrilheiro Guiñazú e sobretudo o conjunto colorado.

FICHA TÉCNICA

INTERNACIONAL 1 X 1 ESTUDIANTES

Estádio: Beira-Rio (Porto Alegre, RS)
Data-hora: 3/12/2008 – 22h (de Brasília)
Árbitro: Jorge Larrionda (URU)
Auxiliares: Pedro Fandiño (URU) e Walter Rial (URU)
Renda e público: 46.276 pagantes
Cartão Amarelo: Alayes, Benítez, Braña (EST); Magrão, Bolívar, Gustavo Nery, Lauro (INT)
Cartão Vermelho: Agenor, 44'/2ºT (INT); Braña, 13'/2ºT Pror. (EST); Boselli, 15'/2ºT Pror.
Gols: Alayes, 20'/2ºT (0-1); Nimar, 8'/2ºT Prorrogação (1-1)

INTERNACIONAL: Lauro, Bolívar, Danny Morais, Álvaro e Marcão; Edinho, Magrão (Sandro, 2'/2ºT Prorrogação), Andrezinho (Gustavo Nery, 19'/2ºT)e D’Alessandro; Nilmar e Alex. Técnico: Tite.

ESTUDIANTES: Andújar, Angeleri, Alayes, Cellay e Desábato; Braña, Iberbia (Perez, 19'/2ºT), Veron (Moreno 7'/1ºT Prorrogação) e Benítez; Boselli e Fernandez (Calderon, 25'/2ºT). Técnico: Leonardo Astrada.

Fonte


Respeitem esse Time !
INTERNACIONAL CAMPEÃO DA COPA

Para quem só ganha Títulos Internacionais

Que fique o Brasileirão para o São Paulo !
Afinal eles merecem ...

Uma hora e meia antes do jogo começar, o clima de decisão já tomava conta do Gigante do Beira-Rio. O ônibus do Inter estacionou na frente do vestiário e foi recebido com euforia pela torcida, que cantava forte, incentivando o grupo. No gramado, a banda Ataque Colorado tocava seu rock de incentivo ao Inter antes do jogo, agitando a galera no Beira-Rio.

O Inter teve dois desfalques: o zagueiro Índio, lesionado, e o volante Guiñazu, suspenso, ficaram de fora da grande final. Danny Morais e Andrezinho começaram o confronto em seus lugares.

O Inter foi a campo com Lauro; Bolívar, Danny Morais, Álvaro e Marcão; Edinho, Magrão, Andrezinho e D´Alessandro; Alex e Nilmar.

O Estudiantes começou com Andújar; Angeleri, Alayes, Desábato e Cellay; Braña, Ibérbia, Verón e Benitez; Boselli e Fernandez.

A torcida do Estudiantes veio em bom número ao Beira-Rio. Cerca de 2 mil argentinos assistiram à a grande final. Como eles têm as mesmas cores do Inter, a impressão que ficou é de um estádio inteiro com a mesma torcida.

O Internacional entrou em campo sob uma festa impressionante no Beira-Rio com centenas de sinalizadores vermelhos. A nuvem de fumaça lembrava a final da Copa Libertadores, quando o Inter bateu o São Paulo. O Gigante tremia com a força da massa colorada instantes antes do começo da decisão.

O jogo

A 1min, Benítez cobrou falta para a área e a zaga afastou bem de cabeça. Aos 2min, o Inter trocou boa seqüência de passes pela direita até a zaga argentina afastar com um chutão para fora do campo.

A esquematização tática do Inter no princípio de jogo era clara: uma linha de quatro zagueiros, uma segunda linha com três volantes, D´Alessandro na ligação e Nilmar e Alex mais à frente.

Aos 4min, Alex arrancou pelo meio, a zaga cortou, mas a bola sobrou para D´Alessandro, que entrou na área e concluiu por cima. O Inter chegou forte pela primeira vez.

Aos 6min, D´Alessandro fez jogada sensacional pela direita, arrancando, driblando dois jogadores e passando para Andrezinho, na entrada da área. O meia chutou forte no corpo da zaga. Aos 7min, Verón cobrou falta rapidamente para seu companheiro na área, mas Danny Morais fez grande corte e salvou.

Aos 9min, Angeleri tentou chutar de fora da área, mas a bola saiu pela lateral. O jogador argentino recebeu uma grande vaia. O Inter pressionava com a posse de bola ao redor da área do Estudiantes.

Aos 13min, Nilmar arrancou, passou por dois, passou também pelo zagueiro Alayes, que era o último homem e foi derrubado. O juiz Larrionda só deu o cartão amarelo. Um absurdo.

Andrezinho fazia bom trabalho de passes pelo meio-campo. D´Alessandro igualmente estava muito bem na armação e criação das jogadas. A principal iniciativa do time de La Plata era com o lateral-direito Angeleri, que apoiava a todo momento. Marcão marcava forte e impedindo os avanços do lateral.

Aos 22min, Bolívar fez grande jogada pela direita, entrou na área, avançou até a linha de fundo e cruzou. A bola tocou no braço do zagueiro. Pênalti não marcado por Larrionda. Mais uma do uruguaio!!! Aos 24min, Alex cobrou falta para a área, mas Andújar defendeu bem. Aos 25min, Nilmar e Marcão fizeram boa jogada pela esquerda até o atacante entrar na área e cruzar rasteiro, mas o goleiro defendeu.

Aos 28min, D´Alessandro entrou a dribles na área, pela direita, e cruzou forte para Andújar fazer boa defesa. Aos 30min, cobrança ensaiada de escanteio: D´Alessandro tocou rápido para Alex que cruzou para Nilmar cabecear na trave!!!! O lance, porém, foi invalidado por impedimento.

Aos 32min, Benitez cobrou falta para a área e saiu o gol, mas o juiz anulou por impedimento de dois jogadores na área. Aos 37min, Braña arriscou da intermediária, pegando rebote de primeira, e a bola saiu ao lado do gol. Aos 39min, Bolívar foi à linha de fundo, pela direita, e cruzou pra Nilmar cabecear ao lado do gol.

O Estudiantes avançou com força e tentou pressionar, mas a zaga cortou bem com Danny Morais. Aos 42min, D´Alessandro pegou a bola na área e recuou para Andrezinho, que chutou de primeira, a bola tocou na zaga e passou ao lado com perigo. Quase o gol colorado.

Aos 45min, D´Alessandro deu bom passe para Magrão, na entrada da área, girar de pé esquerdo ao lado do gol. Foi o último lance do primeiro tempo.

O Inter teve um bom primeiro tempo até os 30 minutos, marcando bem e atacando com qualidade. O Estudiantes só pressionou a partir dos 30 minutos em lances de bola parada, uma das especialidades do time argentino.

O Inter voltou com a mesma equipe para a etapa final.

O Inter começa fulminante. Aos 15seg, Nilmar deu grande passe para Andrezinho na entrada da área chutar na rede pelo lado de fora. Aos 5min, Alex cobrou falta, Desábato cortou mal, mas o goleiro Andújar saiu bem do gol e defendeu. Aos 6min, Nilmar recebeu na área e chutou ao lado do gol.

O jogo estava equilibrado e difícil. O Estudiantes procurava avançar mais, mas também deixava mais espaços para os contra-ataques.

Aos 18min, saiu Andrezinho, muito aplaudido, para a entrada de Gustavo Nery. No Estudiantes, saiu Ibérbia, lesionado, e entrou Perez.

Aos 20min, Benítez cobrou falta para a área e Alayes chutou de primeira para fazer 1 a 0. Aos 22min, Benitez cobrou escanteio e Lauro saiu bem do gol.

Aos 24min, Gustavo Nery arriscou de fora da área e Andrújar fez boa defesa. Aos 25min, Calderón entrou no lugar de Fernandez, no Estudiantes. Aos 27min, Braña arriscou de fora da área por cima.

O Inter tentava atacar, mas o Estudinates se fechava bem. Aos 33min, Taison entrou no lugar de Alex. Aos 37min, Edinho arriscou de fora da área e a bola saiu ao lado do gol.

Aos 44min, Verón deu grande passe para Angeleri, no bico da área. O lateral chutou forte e a bola passa perto. Que susto. Aos 45min, Nilmar ganhou na velocidade da zaga e foi derrubado, quando entrava na área. O juiz nada marcou!!!!

A derrota no tempo normal obrigou a realização da prorrogação para decidir o título. Foram dois tempos de 15 minutos.

Momentos antes do início do tempo extra, ss dois times ficaram reunidos no gramado, ouvindo as instruções dos dois técnicos. Em seguida, os ogadores colorados se reuniram no centro do gramado para as últimas instruções. A torcida empurrava o time.

Aos 2min da prorrogação, Taison fez boa jogada pela direita, entrando na área, correndo em cima da linha e cruzando para boa defesa de Andújar.

Aos 7min, saiu Verón para a entrada de Moreno y Fabianesi, na última mudança do time argentino. Aos 10min, a bola foi tocada para Nilmar na área, mas o atacante não conseguiu dominar a bola, e a zaga corta.

Aos 12min, O Inter quase chegou lá! Um bate e rebate incrível na área com vários chutes do Inter. A bola tocou na zaga, o goleiro fez grande defesa e a bola não entrou!

Aos 13min, Angeleri tocou para Calderon na área chutar e a bola tocar na zaga e ir para escanteio. Na seqüêcnia do lance, a zaga colorada afastou o perigo. Foi o último lance do primeiro tempo do tempo extra.

A 1min do segundo tempo da prorrogação, Sandro entrou no lugar de Magrão.

O Inter pressionava com cruzamentos para a área. O Estudiantes afastava como podia e se segurava bem. Aos 6min, D´Alessandro fez boa jogada pela direita e cruzou pra Nilmar, mas Angeleri salvou na pequena área, para escanteio

Aos 8min, cobrança de escanteio para a área. Depois de um bate e rebate a bola sobrou para Nilmar chutar e fazer o gol!!!. 1 a 0.

Aos 10min, Benitez cobrou a falta para a área e Cellay cabeceou ao lado do gol.

O Beira-Rio estava uma loucura!!! O estádio inteiro de pé vaiando o time adversário, que tentava pressionar.

Aos 13min, os jogadores argentinos tentaram agredir Jorge Larrionda que expulsou o volante Braña e Boselli.

O Inter se segurou atrás e garantiu a conquista do título inédito. Festa generalizada no Gigante! O Inter conquista o último título que faltava na sua coleção. Ao lado do Boca Juniors, é o time que mais títulos internacionais venceu. É também o primeiro clube do Brasil a ser campeão da Copa Sul-Americana.

Internacional: Lauro; Bolívar, Danny Morais, Álvaro e Marcão; Edinho, Magrão (Sandro), Andrezinho (Gustavo Nery) e D´Alessandro; Alex (Taison) e Nilmar. Técnico: Tite.

Estudiantes: Andújar; Angeleri, Alayes, Desábato e Cellay; Braña, Ibérbia (Perez), Verón (Moreno y Fabianesi) e Benitez; Boselli e Fernandez (Calderon). Técnico: Leonardo Astrada.

Gols: Alayes (E), aos 20min do segundo tempo do tempo normal, Nilmar (I), aos 8min do segundo tempo da prorrogação.

Cartões amarelos: Alayes, Benitez, Braña (E), Magrão, D´Alessandro, Gustavo Nery, Lauro (I). Expulsões: Agenor (I, banco de reserva)), Braña, Boselli (E).

Público: 51.803 / Renda: R$ 1.043.995,00 fora o Prêmio em $$$

Arbitragem: Jorge Larrionda, auxiliado por Pablo Fandiño e Wálter Rial (trio uruguaio).

Local: Beira-Rio, Porto Alegre.

Fonte: Onde Copeiros devem ir para aprender a não morrer na praia !


Nenhum comentário:

Postar um comentário